>>> “Espero que agora a gente derrote [a reforma da Previdência], mas precisamos do povo organizado nas ruas. O povão tem que dizer: ‘não mexam com a nossa aposentadoria’.”

De camisa polo azul claro e sapato social, o deputado federal Paulo Teixeira, do Partido dos Trabalhadores, senta-se à mesa em um pequeno – mas aconchegante – espaço de festas no Parque das Palmeiras, em Pindamonhangaba (SP). Ele vai falar ao blog Papo Sem Censura, por 20 minutos, dentro de uma agenda de três dias pela região, que inclui a destinação de R$ 500 mil em emendas para o Pronto Socorro da cidade. A entrevista completa em vídeo está no fim do artigo.

Depois do bate-papo conosco, conversará com alguns convidados de seus mobilizadores ao lado do economista André Paiva; o assunto central é o projeto de Reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro. “De reforma não tem nada, é uma demolição previdenciária”, afirma o deputado.

***

Na entrevista, Paulo Teixeira fala ainda sobre a estagnação econômica do País, ressaltando que as medidas anunciadas como salvadoras, como a Reforma Trabalhista, não surtiram efeito. “A economia não está indo bem; os direitos sendo retirados…”, avalia. “Hoje a direita enlouquecida está no congresso nacional. Eles querem vender o Brasil na bacia das almas para os americanos. Os americanos estão mandando no nosso país.”

***

Como não poderia de ser, Lula também foi assunto na entrevista. Paulo Teixeira conta que ainda não chegou a vê-lo dentro da prisão em Curitiba; recorda-se apenas do encontro em São Bernardo, no velório do neto do ex-presidente, Arthur, que faleceu aos 7 anos em março recente. “Se estivesse solto, Lula seria presidente da república. Foi uma prisão política, no sentido de um juiz que tinha a intenção de prende-lo e tornou-se ministro do adversário [de Lula, o atual presidente Jair Bolsonaro]”, avalia. “Nossa esperança é de que o Supremo Tribunal Federal o absolva. Mas ele continua sendo a maior liderança do Brasil.”

***

Aprofundando no tema da Reforma da Previdência, Paulo Teixeira comemorou o fato da oposição ter conseguido segurar a matéria por 60 dias na Comissão de Constituição e Justiça – maior tempo na CCJ em todas as reformas desde a Constituição de 1988. Mas reforça que a resistência ao tema está apenas começando. “Quem vai destruir a previdência social são eles [com esse projeto], através desse sistema de capitalização”, afirma. “Espero que agora a gente derrote, mas precisamos do povo organizado nas ruas. O povão tem que dizer: ‘não mexam com a nossa aposentadoria’.”

***

Mais sobre o entrevistado
Nascido em Águas da Prata, município paulista localizado a 238 km da capital, Luiz Paulo Teixeira Ferreira é graduado e mestre em direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. É professor, advogado e filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Deputado Federal desde 2006, atuou ainda na assembleia legislativa de SP por dois mandatos, além de ter ocupado os cargos de Secretário Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano do Município de São Paulo (2001-2004) e Diretor-Presidente da Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo – COHAB (2003-2004). Antes de chegar à Brasília, foi eleito vereador pela capital paulista em 2004. O nosso entrevistado de hoje é Paulo Teixeira, deputado federal pelo PT.

Confira a entrevista na íntegra:

Anúncios