Uma das áreas mais questionadas da gestão Vito Ardito Lerário, e marcada por críticas durante os quatro anos de gestão, a Saúde deu sinais de problemas antes mesmo do prefeito tomar posse em 2013. E o blog Papo Sem Censura acompanhou os capítulos dessa história passo a passo e, agora, a reconta aqui, dentro da coluna “Bastidores da Política (retrô)”, lançada em comemoração aos 10 anos do blog.

***

Bastidores da Política (retrô): Capítulo 3 – a dança das cadeiras na Saúde da gestão Vito

Após a vitória de Vito nas eleições de 2012, tudo indicava que caberia ao vice-prefeito, Isael Domingues, médico, definir os rumos da Saúde.

Nos bastidores da diplomação dos eleitos, ainda em 2012, no entanto, um fonte ouvida pelo blog confidenciou a este colunista que Isael não estava satisfeito com o espaço que vinha sendo dado ao seu partido, o PV [aqui].

sandra4

Dito e feito, reservada a coincidência do trocadilho, Edson Lopes Mergulhão foi levado à pasta da Saúde no início da gestão, indicado por Sandra Tutihashi [figura historicamente ligada a Vito]. A vida de Mergulhão no cargo seria curta, porém. Findou-se dois meses depois da nomeação.

O nome mais natural para substituir Mergulhão seria o de Sandra, que havia fechado compromisso com o então governador Geraldo Alckmin de seguir na direção regional por mais dois anos, conforme apurou o blog à época.

Com a vacância e sem o retorno de Sandra, Vito jogou a batata quente nas mãos de Isael, que aceitou o cargo em março de 2013. Na época, o blog chegou a publicar o artigo “Isael na saúde: No lugar errado; na hora errada”. Isael fez chegar a este colunista que não havia concordado com o artigo. Em maio, Domingues tentou entregar o cargo, ação recusada pelo prefeito. Em outubro, por telefone, Isael confirmou em primeira mão ao blog que estava deixando definitivamente a pasta, seis meses depois de assumi-la [aqui].

Iniciou-se, então, o derradeiro capítulo. Havia sobrado Sandra Tutihashi, que ainda tinha mais um ano no Estado, conforme acerto com Alckmin. Em 8 de outubro, o blog ventilou pela primeira vez o retorno de Sandra [aqui]. Dois dias depois, em 11 de outubro, a informação de que Sandra já estava de malas prontas [aqui]. Dia 15, ela fazia reunião na Saúde [aqui]. Foi então que, no dia 22 de outubro, abordado em reunião de bairro pelo blog, Vito confirmou o retorno oficial de Tutihashi [aqui].

Detentora de 30% do orçamento, a Saúde não deu sinais de avanços nos anos seguintes, conforme acompanhou o blog [aqui].

Tornou-se, então, o carro-chefe da campanha de Isael na eleição seguinte, em 2016, e continua sendo uma das pastas mais criticadas na cidade, hoje sob o comando de Valéria dos Santos, indicada do deputado estadual Padre Afonso, conforme o mesmo admitiu ainda em 2017 em entrevista à Ótima FM e o prefeito em entrevista à TV Vanguarda.