>> Única pasta não anunciada foi a de Planejamento, que o blog antecipou como sendo  Carlos Eugênio Monteclaro César Junior, de Taubaté. Alfredo Kobbaz também estaria estudando proposta

15327691_936304506470494_1095684236_n.jpg

Era início da noite do dia 2 de outubro de 2016, um domingo, quando 34.589 mil pessoas entregaram a Isael Domingues uma responsabilidade: administrar uma cidade de 160 mil habitantes. Desde que derrotou Vito Ardito Lerário (prefeito da cidade por 4 mandatos), Isael iniciou a composição de sua equipe. Em entrevista à Ótima FM, anunciou ainda em outubro os seis primeiros nomes de sua futura administração ainda em outubro: Everton Chinaqui de Souza Lima (secretário de Esportes), Dr. Marcos Vinicius Faria, “Nico” (secretário de Habitação), Ricardo Piorino (secretário de Governo), Nilson Luiz de Paula Santos (sub-prefeito de Moreira César), Jucélia Batista Ferreira (presidenta da Fundação Dr. João Romeiro) e Fabiano Vanone (chefia de Gabinete).

Nesta quarta-feira, dia 14, às 9h, o prefeito eleito reuniu a imprensa para anunciar o restante de sua equipe de primeiro escalão. Os nomes foram antecipados pelo blog na madrugada de segunda para terça (leia aqui). O único cargo não confirmado foi o do secretário de planejamento, que o blog antecipou como sendo Carlos Eugênio Monteclaro César Junior, de Taubaté, nome ligado ao deputado Padre Afonso Lobato. Segundo Isael, o titular da pasta deve ser confirmado até o fim desta semana. Outro nome cotado, segundo o blog apurou, é o do arquiteto Alfredo Kobbaz, que “ainda avalia como seria conciliar suas agendas antes de levar em frente a possibilidade”, teria dito a pessoas próximas.

A pasta de Relações Instuticionais, que pode ser extinta em uma futura reforma administrativa, também não foi anunciada.

Alguns pontos de destaque nos nomes anunciados: 3 são servidores municipais (Fabrício Pereira, em Administração, Josué Bondioli (Obras) e João Muniz (Finanças), nomes jovens (como Júlio do Vale, na Educação, e Everton Chinaqui, no Esporte) e a primeira mulher presidenta da Fundação João Romeiro, Jucélia Batista.

Após apresentar a equipe do secretariado, além da presidenta da Fundação, Isael também respondeu a perguntas dos jornalistas presentes. Abaixo, o blog destaca alguns dos pontos debatidos:

O secretariado

IMG_20161214_110240.jpg

Isael reforçou em sua fala a questão da união de sua equipe, como sendo “administração que parece com a gente”. Segundo o prefeito eleito, todos os nomes foram escolhidos com bases técnicas.

***

 

Slogan

A imprensa foi recepcionada em um ambiente com as cadeiras em posição circular, compondo com o prefeito, o vice Ricardo Piorino e os nomes anunciados. Dentro do objetivo de envolvimento, Isael apresentou um dos “programas” de sua administração, o “Gestão Integrada”, que está amparado em cinco conceitos: parceria, inovação, transparência, eficácia e humanização.

***

Tensão é bom

O prefeito eleito reforçou que momentos de tensão são importantes para impulsionar a equipe  – reforçou que quer conviver com profissionais que “batam” na mesa, questionadores, sempre em busca da promoção do diálogo.

***

Orçamento enxuto

Sobre o orçamento para 2017 aprovado segunda-feira na Câmara, de R$ 433.700 milhões de reais – uma redução de 4,99% comparado ao de 2016, Isael disse que já esperava trabalhar com uma máquina menor, até mesmo devido ao contexto de crise. Segundo o prefeito, os números finais do próximo ano podem ser ainda menores: projeções mais pessimistas falam em uma arrecadação de R$ 380 milhões, enquanto os mais otimistas batem em R$ 400 milhões. Isael disse que será importante criatividade e apertar os cintos – chegou a falar em “medidas impopulares”, mas espera diálogo aberto na apresentação dessas possíveis ações. Não descartou investimentos via Banco Mundial ou Caixa Econômica.

***

Rebaixamento da linha férrea

Isael explicou que já esteve em Brasília para saber mais sobre o tema, mas devido ao cenário econômico do país, um projeto tão grandioso torna-se de difícil execução. Não descartou o rebaixamento, mas afirmou que avalia alternativas viáveis, como transferir a linha férrea para fora do centro da cidade, o que envolveria, por exemplo, a CCR Nova Dutra.

***

Saúde

Sobre saúde, tanto Isael quanto a futura secretária Valéria dos Santos falaram bastante em “humanização”. Segundo Valéria, não pode haver distinção entre a saúde praticada no centro de Pinda e no distrito de Moreira César. Falou ainda em trabalhar fortemente junto com a Educação, para a formação de uma geração mais saudável, com foco na prevenção.

***

Perguntas do blog

Na coletiva, o blog Papo Sem Censura fez duas perguntas ao prefeito Isael Domingues.

Blog: Sobre o orçamento aprovado, que passou pela Câmara sem nenhuma proposta de emenda, em caso de queda na arrecadação conforme está previsto, quais áreas serão preservadas, uma vez que o senhor fala em possíveis “medidas impopulares”?

Quem respondeu foi o vice-prefeito, Ricardo Piorino, ainda vereador em exercício, pois esteve na sessão de votação do orçamento.

Ricardo: O projeto passou sem nenhuma emenda, mas não passou a toque de caixa, houve muita avaliação. Eu mesmo fui um vereador que conversei com os outros da Casa. Não adiante, neste momento, haver uma emenda para levar mais dinheiro para Comunicação, por exemplo, como já foi feito no passado, faltando remédio para a população. Os vereadores foram sensatos. Sem dúvidas o Isael vai priorizar Saúde, havendo possibilidade de remanejamento e suplementação. Lembrando que o prefeito tem até 25% de remanejamento para fazer nesses valores.

Blog: Quanto à presença de mulheres em seu primeiro escalão, observamos aqui hoje que essa representatividade está em 16%. Quando vai se compor a equipe, a questão de gênero é levada em consideração? Se sim, por que ainda não conseguimos chegar em um número paritário?

Isael: Nós ainda temos os cargos de diretoria que podem ser preenchidos até por um número maior de mulheres – não tem uma lógica na organização no sentido de falar assim, ‘eu tenho preferência por esse; por aquele. Tratar as pessoas com desigualdade. A gente sempre tratou os desiguais com desigualdade’. As coisas foram acontecendo em função da nossa construção. A gente pode até ser criticado por isso, [mas] não é obrigatório descontruírmos o secretariado para colocarmos uma pessoa menos habilitada só para poder atender a uma demanda. Nós fizemos por questão técnica, não foi gênero. Calhou de ser as duas [mulheres], mas poderia ser todas mulheres. Então eu não levei por esse lado, estou sendo bastante aberto com você. De qualquer forma, nas diretorias nada impede de termos um número superior de mulheres, acredito até que tenhamos.

Nessa pergunta, o chefe de gabinete, Fabiano Vanone, também fez um complemento:

Fabiano: Acrescentar um pouco mais nessa visão [do blog], me perdoe um pouco simplista demais, sobre a quantidade de mulheres aqui. Primeiro por que a Valéria [Saúde] vai tocar uma secretaria com 30% do orçamento; a Jucélia tem uma posição estratégica na Fundação, com um orçamento que caiu de 1 milhão de reais para 400 mil, o que também é suficiente para fazer um bom trabalho – não somente pela Tribuna, mas também pela fundação, ela já tem muitas ideias. Uma outra questão é que aqui estão as pontas de lança [referindo-se ao secretariado] – o pessoal que acaba se expondo. Mas existe uma equipe muito maior, de muitas mulheres, participando desse processo, que são movidas, que têm opinião e exercem uma influência muito grande. Outro ponto que foge um pouco dessa questão simplesmente de sexo, mas de contemplar uma solicitação da sociedade, como um grande número de jovens, temos aqui 3 servidores concursados da prefeitura de Pinda – a gente precisa enaltecer isso. Então, pra gente não simplificar essa questão, de que só tem duas mulheres, três mulheres, quatro mulheres… Não, tem duas mulheres à frente de pastas importantes, mas um grupo que representa a sociedade como um todo. É só um adendo de que é muito mais complexo do que isso.