Por Giovanni Romão

DSCF2900

Depois de ficar oito anos no poder em Pinda, com o prefeito João Ribeiro, o PPS viu seu tamanho reduzido quase ao nível zero. Dos três vereadores eleitos em 2008, o partido fez apenas um nome para a Câmara em 2012: Carlos Magrão. Sem falar na errada escolha de apoiar Torino, ainda mais tendo na liderança do partido o desgastado nome de Myriam Alckmin na época. Hoje em São Bento do Sapucaí, Myriam tem procurado novos espaços e pode voltar inclusive ao PSDB.

Ainda em 2012, o PPS viu o tucanato local voltar ao comando do executivo com Vito Ardito Lerário.

A administração confusa do tucano, no entanto, tem despertado os interiores do PPS por uma reestruturação local. Luis Rosas, ex-diretor de Trânsito, deu entrevista recente à Ótima FM, falando sobre Eduardo Campos – na esfera federal, o PPS compõe a coligação que hoje é encabeçada por Marina Silva após a trágica morte do pernambucano. Enfim, o PPS busca espaço para se fazer presente.

Reuniões têm ocorrido com certa frequência e um dos gurus do novo projeto é exatamente o ex-prefeito João Ribeiro, que queria distância da política após deixar a prefeitura no fim de 2012. Agora, segundo dizem nos corredores, não quer mais tanto afastamento assim…

Agora é observar os próximos passos.

Olhos abertos 1
Segundo o dicionário Houaiss, o termo fisiologismo significa: “conduta ou prática de certos representantes e servidores públicos que visa à satisfação de interesses ou vantagens pessoais ou partidários, em detrimento do bem comum”. Em alguns momentos essa é a sensação que a atuação legislativa de Pindamonhangaba nos passa.

Olhos abertos 2
A questão envolvendo a atuação da Santa Casa, que se arrasta desde 2011 quando o atual contrato foi vencido (hoje arrastado por meio de prorrogações), é só mais um dos exemplos dessa postura adotada por alguns parlamentares. Em sessão de Câmara recente, o vereador Carlos Gomes, o Cal, já chegou a dizer que é de conhecimento de todos que a Santa Casa não cumpre o contrato em todos os seus tópicos. Pasmem, e tudo segue como está?

Olhos abertos 3
Então, o vereador Osvaldo Negrão coloca em pauta um requerimento que pede uma auditoria do Ministério da Saúde na Santa Casa e o pedido é rejeitado por 6 vereadores (Ricardo Piorino estava ausente e Marim César, que presidia a sessão, não votou): Jânio Ardito, Cal, Toninho da Famárcia, Felipe César, Marcos Aurélio e Roderley Miotto. Qual é a preocupação que o Ministério Público dê as caras por aqui? “Eles podem fechar a Santa Casa…”. Estranho existir esse receio e tudo seguir bem, como se nada estivesse ocorrendo… E, mais, o Ministério da Saúde não seria de tamanha irresponsabilidade em fechar o único hospital de atendimento público na cidade. Sem dúvidas exigiria soluções, mas com coerência. Algo que um grupo de parlamentares de Pinda não leva em seus currículos. Foram favoráveis ao requerimento apenas Osvaldo, Magrão e, grata surpresa, Professor Eric.

Olhos abertos 4
A política provinciana e quem as pratica corre sérios riscos de ficar fora da vida política nas próximas eleições. Quem já construiu sua base de eleitores, os famosos carreiristas do Legislativo, até podem temer pouco, pois acomodam-se em suas cadeiras cativas. Mas, aos marinheiros de primeira viagem, sobrará afundar com a ancora…

Palestra “eleitoral”
O que tem de candidato a deputado ministrando palestras “motivacionais” é brincadeira. Seriam mesmo motivacionais? Hum, sei.

Isael no PMDB?
Candidato a deputado federal pelo PV, o vice-prefeito Isael Domingues está dobrando na região com Ary Kara, do PMDB. Há quem ventile nos bastidores da política que essa aproximação tem olhares voltados para 2016. O caminho mais natural seria a ida de Isael para o PSD, partido que estava sob o comando de sua esposa Cláudia, mas agora está nas mãos de Norbertinho (secretário de integração e governo).  Estaria Isael preparando as malas para desembarcar no PMDB? Caso esse movimento se confirme, teoricamente Isael poderia ser o cabeça de chapa do partido na próxima disputa municipal. Mas e Torino?

Aproximação
Falando em Isael, ele e o vereador Osvaldo Negrão têm conversado bastante. Vereador pelo PMDB, Osvaldo pode ser mais uma peça nessa articulação da troca partidária de Isael.

Dá-lhe Gugu…
Há duas semanas encontrei com Gugu Mello. Ele olhou e disse: “Escreve lá no blog, vou lançar mais uma a Federal”. Confio no Gugu, mas achei estranho o papo, afinal ele já é candidato a deputado federal. E não é que ele lançou mesmo? Zelia da Criançada, do Araretama, que já foi candidata a vereadora em Pinda, também foi lançada a Federal. Sendo assim, Pinda tem nove candidatos a deputado federal e estadual e completam a lista com Gugu e Zélia: Carlinhos Casé, do PT, Daniel Ferreira, do PSC, Edison Flores, do PCdoB, e professor Eric, do PR (esse a estadual), e Isael Domingues, do PV, e Rafael Goffi, do PSDB, e Michele Camargo, do PSC (esses a federal).