Por Giovanni Romão

image
Jânio, Felipe, Martim e Roderley partem na frente pela presidência do biênio 2015-2016

 

No fim de 2014, Ricardo Piorino completará seu segundo biênio consecutivo como presidente da Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba. Por isso, o segundo semestre deste ano promete ser marcado pelas alianças nos bastidores para definir o futuro comandante da Casa de Leis.

Até o momento correm na frente quatro nomes: Jânio Ardito Lerário, Felipe César, Roderley Miotto e Martim César. Essa leitura é consenso entre alguns jornalistas ouvidos pelo blog recentemente – inclusive alguns vereadores não torcem tanto o nariz para essa realidade; alguns até esboçam sorriso de que “é bem por aí…”.

Jânio esteve próximo de assumir a presidência no primeiro biênio, mas os burburinhos por ser irmão do prefeito poderiam gerar um desgaste por quatro anos. Agora, faltam apenas dois anos e o desgaste, principalmente junto aos olhos da justiça, teria o tempo como adversário; não mais como aliado.

Outro nome que circula bem pelos corredores legislativos é o de Felipe César. Antigo na Casa, apesar de ter ficado quatro anos fora, Felipe adota um perfil corporativo que agrada as velhas raposas e é também próximo aos novos vereadores – além disso tem caminhado muito ao lado do atual presidente, Ricardo Piorino.

Roderley e Martim César, que completam a lista do quarteto, correm por fora. O primeiro não é unanimidade nem entre os antigos vereadores – muito menos entre os mais novos. Já Martim, apesar do engavetamento da CEI dos Carros, ficou com a imagem e as relações internas muito desgastadas, além do processo que corre na justiça comum também pelo uso indevido dos carros. Seu nome na presidência poderia representar um desgaste conjunto e institucional para o Legislativo.

E os demais?

Duas vezes de forma consecutiva na condição de presidente, Piorino não pode tentar a reeleição. Dr. Marco Aurélio teria dificuldades para aliar suas agendas como médico e presidente – quis ser presidente em sua primeira legislatura, de 2008 a 2012, mas acabou “traído” por Martim César e hoje não parece ter tanto interesse assim no posto.

Professor Eric não tem bases internas para chegar ao posto – costurou de muitos lados nos últimos meses e deixou de ser um nome bem visto tanto no grupo dos mais antigos vereadores como junto aos seus contemporâneos. Carlos Magrão e Professor Osvaldo Negrão são hoje os dois únicos vereadores de oposição e carecem de base para chegar à presidência. Toninho da Farmácia não quer o cargo e Carlos Gomes “Cal” também não demonstra interesse em ocupar a cadeira.

Olhos nos próximos capítulos do novo folhetim…