>>>Em entrevista à Ótima FM, relator da CEI, professor Osvaldo, fala sobre os próximos passos

martim_opcao2

Dentro do prazo regimental de 3 meses, chegou ao fim a CEI (Comissão Especial de Inquérito) aberta para investigar as denúncias de que o vereador Martim César teria feito uso dos carros da Câmara de Pinda para fins particulares. A comissão foi iniciada após uma reportagem do Fantástico mostrar o vereador indo a São Paulo acompanhado da esposa e a filha. Em entrevista à TV, Martim disse que desconhecia as regras, mas confirmou o uso dos veículos.

A CEI ouviu ao longo dos três meses os três motoristas do Legislativo (Eliseu, Ailton e Alexandre), que confirmaram a viagem, e o vereador Martim César. Em seu pronunciamento, Martim chegou a citar que uma das viagens feitas pelo carro da Câmara para buscar sua filha em Campinas teria partido do presidente da Casa, Ricardo Piorino. A fala levou os vereadores da CEI (o presidente Carlos “Magrão”, o relator Professor Osvaldo Negrão e Roderley Miotto) a convocarem Piorino, que rebateu as acusações.

Na última segunda-feira, dia 9 de dezembro, foi lido em plenário o relatório final da comissão, que foi assinado pelos três vereadores. Desenvolvido pelo vereador professor Osvaldo, o relatório pede a abertura de uma Comissão Processante para a cassação do mandato do vereador do DEM. “O relatório foi elaborado nos últimos dias. Estamos procurando dar uma resposta à sociedade e foi isso que fizemos ao ler hoje o relatório final na sessão”, afirmou Osvaldo em entrevista à jornalista Aline Bernardes, da Ótima FM. “Para que essa comissão processante funcione nós precisamos de denúncias, que seja feita por partido políticos, feita por cidadãos, ou por uma instituição com mais de um ano. Por questões da lei, é preciso essa nova denúncia”, explica Osvaldo.

A abertura da CP terá que ser votada em plenário, o que pode acontecer na última sessão legislativa do ano, marcada para o dia 16 de dezembro – próxima segunda-feira. Osvaldo, no entanto, prevê que a CP será votada apenas depois do recesso, em 2014. “Creio que ficará para o próximo ano. Procuramos concluir a CEI dentro do prazo regimental, que terminava dia 17”, afirma.