Por Giovanni Romão

tuti
Sandra durante entrevista à imprensa (Foto: Portal R3)

Ela está novamente à frente da secretaria de Saúde de Pindamonhangaba – posto que ocupou pela primeira vez entre os anos de 1998 e 2004. Depois de ser candidata a prefeita em 2004, ano da primeira vitória de João Ribeiro, Sandra tomou novos rumos. Atualmente, comandava a Diretoria Regional de Saúde, no governo tucano de Geraldo Alckmin.

De volta a Pindamonhangaba, cidade que diz ter “escolhido para morar, para viver e que eu amo”, Sandra sabe que tem um grande desafio pela frente. As palavras ela tricotou nesta quarta-feira, dia 6, em entrevista coletiva realizada no auditório da prefeitura. O blog não teve a oportunidade de estar presente, mas foi possível acompanhar os resultados da prosa via imprensa – no caso, as bases de consulta foram os portais R3 e Agora Vale.

No bate-papo, a nova secretária apontou como prioridade zero o combate da dengue no munícipio, principalmente com a chegada do verão. Sandra alertou que a região vive hoje um estado de “epidemia”, com “quatro tipos” detectados da doença.

Para um segundo momento, Sandra aponta que será necessário um prazo de 120 dias para o levantamento das prioridades do município, para então iniciar um planejamento adequado. Ela assumiu a pasta no último dia 1° de novembro. Sua volta ao cargo foi noticiada pelo blog em 11 de outubro.

Também está na agenda de Sandra como primeiras ações uma revisão dos procedimentos e da estrutura do Centro de Especialidades Médicas e visitas as 21 Unidades Básicas de Saúde. A profissional também criticou a infraestrutura do Pronto Socorro, que segundo ela continua “a mesma de 9 anos atrás, quando deixei a secretaria”.

Sandra sabe que tem pela frente um grande desafio e traz uma grande experiência na bagagem. Este segundo ponto será fundamental para que Vito Ardito Lerário, um prefeito de linha centralizadora, dê autonomia para uma pasta que precisa avançar. E com urgência.