Por Giovanni Romão

>>> Mais do que estar de olho nos trabalhos da CEI, é preciso estar atento aos movimentos que acontecem em paralelo. O ano de 2010 não está muito longe para nos provar…

martim

Novamente uma Comissão Especial de Inquérito coloca a Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba em clima de disputa interna – principalmente por se tratar de uma CEI envolvendo um parlamentar, que investiga as denúncias reveladas pelo Fantástico, em filmagens, do vereador Martim César (DEM) usando o carro oficial do Legislativo para fins pessoais. Em entrevista à Rede Globo, o Martima assumiu ter feito o uso do automóvel e disse, posteriormente à rede local, que outros vereadores também têm a mesma prática.

O caso resultou na CEI, encabeçada e agora presidida pelo vereador Carlos “Magrão” (PPS).  Compõem a comissão os parlamentares Professor Osvaldo Negrão (PMDB) e Roderley Miotto (PSDB). Os trabalhos começam nesta terça-feira, dia 24 de setembro, quando serão ouvidos os três motoristas da Casa (Eliseu, Ailton e Alexandre) e o vereador diretamente envolvido Martim César. A sessão terá início às 14h.

Saia-justa

Na sessão ordinária da Câmara nesta segunda, Jonas Almeida, da TV Vanguarda, esteve no prédio para abordar o caso. Além de falar com munícipes e com os parlamentares professor Eric e Magrão, Jonas queria principalmente ouvir Martim César. Logo que chegou, ele fez gestos ao vereador, que negou a entrevista.

No final da sessão, Jonas correu ao estacionamento da Câmara para tentar falar com o vereador, que acabou saindo pela porta de cima, correndo e sendo “resgatado” pelo carro de um amigo. A reportagem da TV Globo foi até a casa do parlamentar e ficou aguardando sua chegada. Martim chegou, desceu do carro, e quando viu a equipe de filmagem, novamente correu para dentro do veículo.

CEI de 2010

Esta não é a primeira vez que uma CEI divide a Câmara de Vereadores. No final de 2009 foi aberta uma comissão para investigar a nomeação irregular de duas assessoras do Legislativo. Conduzida pelos vereadores Abdala Salomão, Ricardo Piorino e Carlos Gomes o Cal, a CEI apresentou seu relatório final na noite de 9 de fevereiro de 2010, confirmando as irregularidades e indicando para a destituição dos cargos de presidente e vice-presidente da Mesa Diretora, na época Martim César e Toninho da Farmácia.

Na votação para a abertura da Comissão Processante, que poderia resultar na destituição dos cargos, o caso acabou engavetado em uma sessão tumultuada. E não estávamos falando de cassação de mandato, hein?!

Por isso, mais do que estar de olho nos trabalhos da CEI, é preciso estar atento aos movimentos que acontecem em paralelo. O ano de 2010 não está muito longe para nos provar…

Lembre um pouco do que ocorreu em 2010 em cobertura feita pelo blog “Papo Sem Censura” na época:

Em 1ª mão: CEI das Nomeações apresenta relatório final

Votação para abertura de Comissão Processante engavetou o caso