>>> Prefeito contraria opiniões e leva Clebber Bianchi ao comando da pasta esportiva da cidade

???????????????????????????????Para ser chefe de cozinha você precisa cursar gastronomia. Para exercer a profissão de médico é preciso cursar o ensino superior na área. Se quiser atuar como guia de turismo é fundamental passar pela graduação em Hotelaria e Turismo. Essas são regras gerais, salvo exceções. No campo da política a exceção parece virar regra e ter curso na área de atuação não é o item um na lista de seleção.

Na manhã desta sexta-feira, dia 23 de agosto, o prefeito Vito Ardito Lerário (PSDB) deu mais uma prova dessa linha que adota o poder público brasileiro ao nomear seu então chefe de ganite, Clebber Bianchi, como Secretário de Esportes.

O rumor já ganhava os corredores da política há algumas semanas e, na última segunda-feira, dia 19, foi um dos assuntos mais comentados na Câmara de Vereadores. O presidente do Legislativo, Ricardo Piorino (PDT), da base de apoio ao prefeito, repudiou a possibilidade. “Não tenho nada contra ele |Clebber|, aliás tenho simpatia; mas isso |possível escolha| causou para nós uma aversão. Pois é uma pessoa que não tem know-how para ocupar um cargo no esporte”, afirmou em entrevista à imprensa. “Ele é um professor de letras, de português, e tem que desenvolver seus trabalhos dentro da sua área; e nós precisamos de uma pessoa qualificada, que tenha competência dentro da área do esporte, que conheça o esporte da cidade e seus problemas – que não são poucos.”

Na mesma entrevista, Piorino deixou clara a posição do Legislativo: “Nós, como vereadores, temos o dever de fiscalizar e exigir um posicionamento do prefeito neste sentido. Nós não queremos o Clebber como secretário de Esporte!” O líder do PSDB na Câmara, vereador Roderley Miotto, também se colocou contrário à nomeação. “O secretário tem que ter experiência na área de administração e também esportiva. Isso foi falado em plenário, de que ele |Clebber| não é da área, então eu sou contra”, disse.

O último secretário de Esportes foi Leandro Galdino, exonerado em 5 de julho após convocar atletas de fora para a disputa dos Jogos Regionais.