Por Giovanni Romão

>>> Em discurso no plenário e em entrevista à imprensa, Roderley Miotto faz duras críticas à administração municipal: “Chega dessa política da promessa que não é cumprida – o povo cansou e nós vereadores também.”

SONY DSC

Uma das surpresas na sessão de Câmara da última segunda-feira, dia 19, foi a postura do líder do PSDB na Casa, Roderley Miotto. O parlamentar fez críticas à atual administração, do prefeito de seu partido Vito Ardito Lerário, e cobrou respostas aos problemas da cidade.

Em entrevista à imprensa, ele reforçou o tom de seu novo posicionamento nos trabalhos dentro do Legislativo. “Nós ganhamos [a eleição] e ouvimos o prefeito dizendo que nós seríamos diferentes [da administração anterior]. Hoje, se você analisar, os maiores problemas nossos também estão no esporte [assim como na antiga administração]. Nós estamos há mais de 30 dias sem secretário. Isso é um absurdo; as coisas têm que andar”, afirmou.

Imprensa: Diversos assuntos foram discutidos na última sessão, como a abertura de CEI na área de esporte. Vereador da base, hoje você teve uma postura diferente, questionando alguns problemas administrativos. Primeiro, queríamos entender os motivos da mudança de discurso…

Roderley Miotto: Na verdade não é uma mudança. Nosso trabalho enquanto vereador, nós precisamos fiscalizar. Eu sempre fui um fiscalizador sério. Claro, fui eleito pelo PSDB , partido com o qual tenho uma história, sou líder da bancada – então, claro, você tem alguns compromissos. Mas, o tempo vai passando e eu fui conversando com o prefeito, com os secretários. Só que nesses últimos tempos não temos visto as coisas acontecerem. Eu entrei com um requerimento há mais de 100 dias, pedindo duas lombadas na Via Expressa, onde têm acontecido muitos acidentes, e não temos apoio nenhum. Já liguei, já pedi, e este tipo de coisa vai desgastando. A população precisa [de resposta]. São PSFs que não funcionam, assim como outras áreas. São coisas [falta de respostas] que te tiram o foco; te deixam irritado. Eu não tenho rabo preso com ninguém. Sou base, sem problemas nenhum, nunca vou negar isso, mas tem que ser com seriedade – as coisas funcionando no governo. Então, a partir do momento que eu ver as coisas funcionarem, o governo pode contar comigo. Vou agir conforme minha consciência e meu coração. Hoje eu estou completamente insatisfeito e estou aqui registrando a minha indignação. Ontem tive num café com alguns amigos e recebi diversas cobranças deles. Recebemos como um absurdo essas horas extras [caso que resultará na primeira CEI da atual gestão]. Pois nós ganhamos [a eleição] e ouvimos o prefeito dizendo que nós seríamos diferentes [da administração anterior]. Hoje, se você analisar, os maiores problemas nossos também estão no esporte. Nós estamos há mais de 30 dias sem secretário. Isso é um absurdo; as coisas têm que andar. A escola de excelência está com problemas. Tivemos problemas de atletas que vieram de fora para disputar os Jogos Regionais. Os problemas estão vindo de todos os lados. Definitivamente nós precisamos seguir uma linha de tudo aquilo que prometemos em campanha.  Chega dessa política da promessa que não é cumprida – o povo cansou e nós vereadores também.

Imprensa: E quais seriam os motivos para o prefeito Vito Ardito não estar executando nada?

Roderley Miotto: É uma situação difícil. É claro que sabemos que existe um plano gestor, um plano plurianual; tem coisas do governo anterior que ainda precisam ser feitas, que já estavam iniciadas. Mas sabemos que é possível fazer mais e melhor… Claro que tem alguns secretários que ainda não conseguiram se encaixar – e sabemos que início de mandato – seus 90, 120 dias – é assim. Mas nós já estamos terminando o mês de agosto. Estamos indo para oito mês de governo e agora as coisas precisam acontecer. Sabemos que o Vito tem muita experiência e é capacitado – e eu acredito no Vito. Mas eu quero que ele faça; que corrija as áreas. A visão da política é moderna – a gestão tem que ser moderna. Temos que fazer um mapeamento da cidade – estudar os pontos. Pinda cresceu muito e precisamos executar uma política moderna

Papo sem censura: Um dos nomes ventilados para a secretaria de Esporte é o de Clebber Bianchi, que  é chefe de gabinete. Pela primeira vez esse rumor veio ao plenário. Como é a posição da base do prefeito quanto a este nome?

Roderley Miotto:  Estou na mesma posição que vocês: ouvimos falar, mas se o Clebber não é da área, eu sou contra. O secretário tem que ter experiência na área de administração e também esportiva. Isso foi falado em plenário, de que ele não é da área, então eu sou contra.

Papo sem censura: O trabalho de Legislativo e Executivo passa pela reciprocidade. Vocês apoiam e têm que ter um retorno por parte do executivo. A antiga gestão tinha reuniões semanais com sua base de apoio. Como é a relação de vocês, da base, com o Vito?

Roderley Miotto:  Vou ser transparente com você: nós não temos reunião. Nós não marcamos nenhuma reunião. Já estive em algumas reuniões com ele [Vito], mas neste sentido [reunião de base] nós temos dificuldades. Isso seria fundamental, mas nós nunca tivemos essa oportunidade. Tem que haver essa reciprocidade [entre Legislativo e executivo] e isso é quase zero hoje.