972270_10201097110446842_1747353527_n

Está sendo organizado para a próxima segunda-feira, dia 24, um protesto que deverá chegar até a sede do poder legislativo de Pindamonhangaba. Denominado “Menos vereadores – mais educação e saúde”, a marcha visa a gritar contra a proposta encabeçada pelo vereador Felipe César (PMDB) de aumentar o número de cadeiras da Casa de 11 para 19. A nova estrutura passaria a vigorar a partir da legislatura de 2017.

O projeto foi aprovado em primeira votação, realizada no dia 10 de junho. Por se tratar de uma alteração na Lei Orgânica, a proposta tem que passar por uma segunda rodada de apreciação dos parlamentares, que precisa acontecer em um prazo mínimo de dez dias após a primeira votação – prazo que se encerra no dia 20.

Para ser aprovado, o projeto precisará de 2/3 de votos – ou seja, oito parlamentares. Na primeira sessão sobre o tema, foram favoráveis à proposta: Felipe César, Roderley Miotto, Carlos Moura “Magrão”, Professor Osvaldo Negrão, Professor Eric de Oliveira e Toninho da Farmácia, Marcos Aurélio e Ricardo Piorino. Posicionaram-se contra: Jânio Ardito Lerário, José Carlos Gomes “Cal” e Martin César.

>>> Câmara aprova aumento para 19 vereadores

Medida não deve passar

Alguns integrantes do grupo que defendem o projeto já consideram a possibilidade de na segunda votação não haver os mesmos oito votos favoráveis da primeira rodada. “Todos parecem fechados na ideia ainda. Mas alguém vai roer a corda”, disse um interlocutor, que optou pelo anonimato. Com a possibilidade de um protesto popular na sessão do dia 24, resta saber a postura dos parlamentares.