Como adiantado no início da semana pelo presidente do Congresso Nacional, Henrique Eduardo Alves (PMDB), foi a voto nesta quarta-feira, 27, o texto de autoria da ex-senadora e atual ministra da Casal Civil, Gleisi Hoffmann, que coloca fim ao 14° e 15° salários de deputados e senadores.
O texto já havia sido aprovado no Senado, no início de 2012, mas havia ficado parado nas comissões do Congresso ao longo do ano. Com o fim dos salários extras, o Senado terá uma economia anual de R$ 4,32 milhões, enquanto o Congresso poderá levar ao cofre a cifra de R$ 27,4 milhões.
O projeto foi aprovado por unanimidade pelos 476 deputados presentes. Os salários extras eram pagos como ajuda de custo e caiam na conta dos parlamentares em dezembro e fevereiro de cada mês. Os dois últimos extras já haviam sido pagos.
Com a aprovação, Henrique Alves espera melhorar a imagem do Congresso junto à opinião pública. Numa realidade pouco feliz, onde fazer o correto se tornou um diferencial, talvez nossos parlamentares até mereçam uma salva de palmas.