“Arquivada” durante a gestão do petista Marco Maia, a proposta do fim do 14º e 15º salários dos parlamentares brasileiros deve, enfim, ir à mesa de votação. A ideia do novo presidente do Congresso Nacional, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), é de que a proposta seja votada até o fim desta semana.

A proposta do fim dos salários extras partiu da ex-senadora e hoje ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Os pagamentos eram feitos a título de ajuda de custo que os parlamentares teriam que arcar no início de cada ano. Assim como qualquer outro brasileiro sofre com as contas em janeiro.

Em trecho do texto, Gleisi diz: “Hoje, os membros do Congresso Nacional têm a possibilidade de retornar à sua base eleitoral a cada semana, não se justificando, há muito, a manutenção do pagamento dessas parcelas…”

Aprovado pelo Senado no começo de 2012, o projeto tramitava pelas comissões do Congresso