>>> Torino e Vito patinam e, em debate pouco encorpado na TV, Casé e Gugu acabam virando destaque

Os quatro postulantes ao cargo de prefeito de Pinda  tiveram mais uma chance de debater suas ideias – aconteceu neste sábado, dia 29 de setembro, na TV Vanguarda. Pela primeira vez, diferentemente do que aconteceu nos debates da TV Band Vale e da Rádio Difusora, todos os candidatos estiveram presentes. Na TV Band, não compareceu o tucano Vito Ardito Lerário. Na rádio, não foram nem Vito e nem Gugu Mello (PSDC) – ambos não concordaram com as regras do debate. Versões oficiais.

E, na primeira oportunidade que os eleitores de Pinda tiveram para ver todos os candidatos juntos, pouco foi possível extrair. O debate foi fraco – assim como está sendo a campanha. Quando o assunto eram temas sorteados, como cultura, emprego e esporte, os candidatos faziam perguntas muito pouco embasadas. Exemplo: “O que fará pelo esporte?”. Claramente, os candidatos conhecem pouco do plano de governo de seus adversários. Por isso, não souberam fazer perguntas mais estratégicas para derrubar o concorrente.

Diante do cenário do debate, Gugu Mello acabou levando certa vantagem. Por ter um conhecimento da problemática da cidade, conseguia explorar suas ideias de maneira mais clara. Neste aspecto, Carlinhos Casé também se destacou. Leva certa vantagem sobre Gugu por ter suas propostas mais robustas. É também o único que fala em um governo participativo.

Torino e Vito saíram do engessamento apenas no momento de se atacarem. O candidato do PMDB acusou Vito de ser um continuísmo da atual administração, por ter alguns secretários ao seu lado, como o atual Secretário de Integração e Governo Arthur Ferreira dos Santos. Vito rebateu dizendo que quem está com a atual administração é Torino, que tem como vice, Myriam Alckmin, a mesma vice de João Ribeiro.

Os dois estão corretos na sua avaliação. A prefeitura está parcialmente dividida – a maior parte pende para o lado de Torino; outra, para o lado de Vito. Em uma polarização forçada que só  contribuiu para empobrecer a eleição municipal. Porém, de fato, quem está com a máquina pública é Torino. Claramente. E, com ele, haverá um continuísmo. Com Vito, um retrocesso aos anos 90 e início dos anos 2000. Agregado com alguns nomes da atualidade.

De fato, Casé e Gugu representam vias mais independentes, apesar do segundo ser de família tradicional. Enquanto o primeiro compôs a atual administração, como subprefeito de Moreira César nos últimos três anos e meio.