“Se o Vito não tivesse vencido no TRE nós enfrentaríamos Torino de frente”. A frase é de uma pessoa ligada ao Partido dos Trabalhadores de Pindamonhangaba, que preferiu o anonimato. Segundo a fonte, caso Vito tivesse perdido o recurso em São Paulo, Carlinhos Casé teria a oportunidade de crescer na disputa pela prefeitura.
A ideia dos petistas era de que os eleitores de Vito, que tivessem algum receio de que o tucano fosse definitivamente barrado pela justiça, caminhassem para um apoio a Casé.
Desde o período de pré-campanha, o sentimento que se criou na cidade é de uma polarização entre Vito Ardito (PSDB) e Paulo Sérgio Torino (PMDB). Carlinhos Casé e Gugu Mello (PSDC) corriam por fora – situação positiva para o candidato tucano, que visa uma eleição de votos pulverizados para ser eleito. Em 2008 viu que no embate direto não tem grandes chances de vitória.
No último mês, entre a decisão da justiça de Pinda e o bate martelo do TRE, a campanha de Vito perdeu força. Enquanto Torino aproveitou para fortalecer sua imagem, o PT não fez na mesma intensidade com Casé. Poderiam ter explorado mais os recursos de rua, principalmente.  Talvez, o problema seja mesmo falta de verba – resultado de uma campanha que nasceu no raiar do sol do meio dia.
Agora, com menos de um mês para a disputa nas urnas, é preciso ver quem terá mais bala na agulha.