>>> Presidente do PV, José Mayer, e o próprio pré-candidato negam que acordo esteja firmado, mas confirmam diálogo aberto com o PSDB

Na política, uma das principais armas é o blefe – mais forte ainda em ano eleitoral. Uma outra verdade é que, apesar do “diz que me diz” ao longo do processo de formação das coligações, os amarres são feitos lá atrás. Em 21 de setembro de 2011, o blog “Papo Sem Censura” trouxe o artigo “Pinda: Eleição pode polarizar entre Vito e Torino” (leia aqui).

Nas linhas do “dito”, falava-se ainda sobre a possível saída de Isael Domingues do PSDB – rumo ao PV.  Porém, reforçava-se que mesmo deixando o tucanato, Isael ainda assim seria o vice na chapa de Vito Ardito Lerário. No mesmo artigo, comentava-se sobre a aproximação entre PMDB e PT – que realmente existiu, apesar de não ter se concretizada a aliança dias antes da convenção que lançou Paulo Sérgio Torino pré-candidato. Nas linhas finais do texto, ainda havia uma rápida pincelada sobre o achego do PPS ao PMDB.

Hoje, nove meses depois de publicado o artigo, o cenário, que mudou muito nos últimos meses, voltou ao que se “debateu” em setembro passado. O PMDB fechou com o PPS, sendo que Myriam Alckmin subiu ao posto de pré-candidata a vice de Torino. O PT, deslocado na última hora, agora opta pela pré-candidatura própria de Carlinhos Casé. Há também Gugu Mello, que deve mesmo confirmar sua candidatura. Pelas bandas do PSDB, Isael está mais próximo do que nunca de ser o vice na chapa de Vito.

“Ele (Isael) está fechado para ser o vice do Vito”, afirmou uma fonte ouvida pelo blog na noite desta segunda-feira, dia 11.O blog respeita o pedido do anonimato, mas esclarece ao leitor que trata-se de uma pessoa diretamente ligada à coligação de Vito – que sabe de dentro como caminham as negociações. Durante a sessão ordinária desta segunda-feira, Isael e Jânio “trocaram figurinhas” todo tempo e ainda levaram uma conversa ao pé de ouvido depois de encerrados os trabalhos.


O presidente do PV de Pinda, José Mayer, negou que exista acordo, mas confirmou a negociação com o tucanato. “Nós temos que observar o cenário, ver o que é mais favorável, e por isso estamos conversando”, afirmou. Isael  também desconversa: “Política é momento. Vamos decidir com calma, apesar do curto prazo que temos. Nós queremos um PV com voz dentro de uma coligação.”

Um dos problemas do PV em ter candidatura própria está na falta de verba partidária, como descrito pelo blog em janeiro deste ano.

Com a confirmação de Isael ao lado de Vito, o presidente da Câmara de Pinda, Ricardo Piorino, cotado para ser o vice pelo PDT, deve tentar uma nova legislatura – como divulgado pelo blog em fevereiro deste ano. Em dezembro de 2011, o blog também trouxe uma conversa entre Vito e Padre Afonso Lobato – um dos principais líderes do PV. Outro indicador de um possível acordo entre os dois partidos

Isael, que disse ao blog em setembro do ano passado que Vito estava em “declínio”, ou usava da arma do blefe, ou pode estar pronto para embarcar em uma canoa que um dia avaliou em franco processo de naufrágio.