>>> Projeto é aprovado na Câmara e entra em vigor. Em entrevista ao blog Papo Sem Censura, vereador autor do projeto fala de dificuldades políticas nos bastidores para aprovar o projeto e diz que a aplicação imediata depende do presidente da Câmara de Vereadores e do prefeito
Como no primeiro turno de votação, a segunda rodada da Ficha Limpa Municipal no plenário da Câmara foi marcada por platéia lotada. Bom para os vereadores, que aproveitaram a oportunidade mais uma vez para defenderem um projeto com grande repercussão local. Em ano política, isso tem grande peso.
A votação ganhou novamente ar de solenidade. O autor do projeto, o vereador Isael Domingues, leu o nome de algumas pessoas da sociedade que estavam presentes e até os hinos nacional e de Pinda foram executados antes da Ordem do  Dia – prática raramente (bem raramente) adotada.
Em votação, o projeto foi novamente aprovado por unanimidade, desta vez com a presença dos parlamentares Jânio Ardito e Toninho da Farmácia, que não estiveram na primeira votação.
Aprovado em duas votações e promulgado pela Mesa Diretora, o projeto entra em vigor no momento da sua publicação oficial.
O Ficha Limpa é, sem sombra de dúvidas, uma importante ferramenta para a moralização da política pública. Porém, nada substitui a importância da participação municipal no dia a dia da cidade. O voto é um ato importante. A fiscalização, uma obrigação de cada cidadão.
Ouça a entrevista com o vereador Isael Domingues – autor do projeto: