Instado por Geraldo Alckmin, José Serra resolveu aparecer definitivamente no cenário eleitoral de São Paulo e, “meio-oficialmente”, já ocupa um posto de pré-candidato para a disputa pela prefeitura da capital do estado em nome do PSDB.

O governador Alckmin esteve reunido neste domingo com dois outros pré-candidatos tucanos: José Aníbal e Ricardo Tripoli. Avisou-lhes que Bruno Covas e Andre Matarazzo, dois outros postulantes na corrida eleitoral, tiraram seus nomes das prévias do tucanato para apoiarem Serra.

Geraldo sonhava com um recuo também de Aníbal e Tripoli, convertendo Serra em candidato único. O sonho virou pesadelo. Com o “não” da dupla, tentou então adiar a votação para a escolha do candidato – marcada para 4 de março. Também sem sucesso.

Os dois tucanos se dizem mais pré-candidatos do que nunca e não aceitam nenhuma mudança de calendário por conta da entrada tardia de Serra na disputa. O prazo para inscrições na prévia, inclusive, já havia vencido há 13 dias. Mais do que isso, Aníbal e Tripoli fazem campanha para que Serra compareça ao debate desta segunda, dia 27, às 19h30, que reuniria os quatro pré-candidatos – hoje convertidos a três. O “embate” será exibido pela internet.

Serra pode ser o nome preferido da cúpula tucana. Mas encontrou dois rivais de peso, que estão focados em deixar a decisão nas mãos dos militantes tucanos. Daí um problema: no diretório municipal do PSDB, Serra pode não ser tão unanimidade assim.