Perto de desocupar a cadeira de chefe do executivo da capital paulista, o ex-demo e atual PSD, Gilberto Kassab, deixará ao herdeiro da prefeitura de São Paulo uma nova realidade no que diz respeito à folha salarial das próximas administrações. Apenas para ressaltar, seus fieis escudeiros se deliciarão da bolada durante 2012 – último ano da administração Kassab.

Com popularidade baixa, mas pouco preocupado com os dizeres de seus adversários, Kassab sancionou hoje (dia 16 de dezembro) a lei que aumenta em mais de 300% os salários de secretários-adjuntos, subprefeitos e chefes de gabinetes das secretarias municipais, entre outros. A primeira categoria citada, por exemplo, salta dos atuais R$ 5.455 para R$ 18.329. Os novos salários entram em vigor em 1º de janeiro de 2012.

Entre as justificativas para defender os aumentos, Kassab classificou seus homens de confiança como “competentes” e disse que era necessário remunerá-los de acordo com a realidade do mercado. Na Câmara, o projeto do prefeito passou no segundo turno de votação por 46 votos favoráveis a 11 contrários – estes da bancada do PT.

Vereadores da base aliada de Kassab, de partidos como PSDB e o próprio PSD, chegaram a afirmar que o aumento seria um mecanismo para evitar corrupção nas subprefeituras. Pasmem…  Os subprefeitos, por exemplo, que hoje recebem R$ 6.573, passarão ao rendimento mensal de R$ 19.294.

Na busca por fortalecer uma aliança com o PSDB para o pleito municipal de 2012, Kassab mostra ser cada vez mais uma proposta de um novo futuro – este, no entanto, ainda sem rumo certo…