No dia 31 de janeiro de 2011 aconteceu uma das sessões mais agitadas da atual legislatura na Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba. Na oportunidade, seria votado o relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) sobre a Verdurama e a abertura de uma Comissão Processante contra o prefeito João Ribeiro.
Porém, uma ação movida pela vice-prefeita Myriam Alckmin barrou os trabalhos no Legislativo. Myriam chegou ao local poucos minutos antes do início da sessão, marcada para às 18h, com uma liminar assinada pela juíza Drª. Claudia Ballestero.
A última importante notícia sobre o caso aconteceu fora dos meios políticos. No dia 10 de agosto, o Ministério Público de São Paulo propôs uma ação civil-pública contra 19 pessoas, entre elas o prefeito João Ribeiro e o cunhado do governador Geraldo Alckmin, Paulo Ribeiro. O caso de irregularidades no contrato de merendas escolares é investigado pelo MP em 30 cidades dos Brasil, desde 2007.
Nos meios políticos, os trabalhos da CEI foram retomados e um novo relatório conclusivo deverá ficar pronto até meados de novembro. Ex-PSB e ex-líder do governo de João Ribeiro na Câmara, o vereador Alexandre Faria, agora no PT, é o relator da CEI. “Será um relatório pautado em levantamentos técnicos-administrativos”, resume Alexandre.
O contrato da Verdurama com a prefeitura tem o valor de R$ 30 milhões, que deverão ser desenvolvidos aos cofres públicos pelos envolvidos em caso de condenação. O valor final da ação é de R$ 792 milhões.