Em 2004, condidata pelo PSDB, Myriam Alckmin foi eleita para quatro anos no Legislativo. No meio de seu mandato, Myriam desbancou do tucanato e aportou no PPS, do prefeito João Ribeiro.

Na eleição de 2008, para conter os ânimos do DEM e do PT, que queriam a posição de vice na chapa de JR, Myriam foi acomodada na cadeira de vice – formando uma chapa “puro-sangue”. Indiscutivelmente, Myriam foi peça importante na campanha vitoriosa de João.

Porém, na política, união vai até certo ponto.

Segundo fontes ouvidas pelo repórter deste blog, um racha por trás das cortinas do executivo foi revelado quando a situação ficou politicamente complicada para JR, em 2010, devido às denúncias de corrupção em pastas como Finanças, Obras e Esportes, resultando na queda dos três secretários.

Pessoas mais próximas à vice estariam com os dedos cruzados torcendo pela derrocada de João Ribeiro do cargo. Com a saída do prefeito, quem assumiria a cadeira seria Myriam, que poderia trabalhar por aproximadamente dois anos como prefeita e sair fortalecida para disputar o pleito de 2012 com candidatura própria.