Nada como ter bons aliados. Mais do que isso, uma população contrário aos seus mandos e desmandos, mas pacífica em um momento decisivo.

O termo pacífico não faz apologia a atos de violência, mas de fato uma participação mais ativa.

Como acreditar que 70% da população não queria mais Roberto Peixoto (PMDB), se na porta da Câmara, das 23h para frente – momento decisivo da sessão – o público não passava de 50 pessoas. Dessas, 30 favoráveis à cassação e 20 contrárias!

A sessão que votava a cassação de Peixoto, teve início às 12h30 de sexta-feira, dia 12, e terminou próximo das 2h deste sábado, dia 13. Apenas a leitura do relatório final demorou mais de 10 horas. Posteriormente, a defesa do prefeito fez sua explanação e, por fim, começou o processo de votação.

O resultado ficou exatamente como antecipado pelo blog “Papo Sem Censura”: 8 favoráveis à cassação e 6 contrários.

Abaixo, como cada vereador taubateano votou:

Favoráveis à cassação:

Rodrigo Luís Silva –Digão (PMDB);

Pollyana Gama (PPS);

Orestes Vanone (PSDB );

Mário Ortiz (DEM);

Maria das Graças (PSB);

Alexandre Villela (PMDB);

Sérgio Aquino (PV) – Suplente de Jeferson Campos

Diego Fonseca (PSDB) – Suplente de Carlos Peixoto

Contrários à cassação:

Rodson Lima (PL);

Chico Saad (PMDB).

Luizinho da Farmácia (PR);

Henrique Nunes (PV);

Ary Kara Filho (PTB);

Maria Tereza Paolicchi (PSC).



Cobertura do blog “Papo Sem Censura”:




Taubaté: Voto pra cá e pra lá…

Taubaté Movimentada

Dia “D”, Taubaté: Sessão longa

Dia “D”, Taubaté: Palcar continua o mesmo…

Dia “D”, Taubaté: Vereador explica voto