Nesta segunda-feira, dia 31 de janeiro de 2011, os olhos de Pindamonhangaba estarão voltados para um prédio e 11 homens.

Com o retorno das atividades legislativas, os parlamentares terão um dia bastante tenso. A nova oposição, consolidada em dezembro do ano passado, quer emplacar a abertura de uma comissão processante contra o prefeito João Ribeiro. O objetivo final? Conseguir a cassação do chefe do executivo.

Porém, na véspera da votação, o grupo continua somando seis votos – para que a comissão passe pelo plenário são necessários oito votos. Devem defender a criação da CP os seguintes parlamentares: Ricardo Piorino, Jânio Lerário, José Carlos Gomes “Cal”, Dr. Isael Domingues, Abdala Salomão e Martim César.

Do lado do prefeito, estariam: Dona Geni, Dr. Jair Roma, Alexandre Faria, Toninho da Farmácia e Dr. Marco Aurélio.

Encontro prévio

Porém, antes do tema cair no plenário, na sessão da noite, uma reunião está prevista para acontecer às 11h. Sabe-se lá o que vai rolar nesse encontro…

Tranquilidade com ressalvas

Uma fonte ligada ao Partido dos Trabalhadores, que integra a base de governo do prefeito João Ribeiro, disse que o clima é de tranquilidade. Na avaliação do grupo de apoio ao prefeito, a oposição não conseguirá o número de votos suficientes para abrir uma comissão processante. Porém…

Tranquilidade com ressalvas II

Porém, especula-se que um grupo de populares deverá lotar o plenário da Câmara para acompanhar a sessão. “O grupo que quer a comissão está articulando um grande ‘evento’”, afirmou a fonte. Neste cenário, há uma preocupação: “Existem dois vereadores que podem balançar nesta situação de pressão.” Sem confirmar os nomes, mas apenas em um sinal de dúvida, a preocupação paira sobre o vereador Toninho da Farmácia e a vereadora Dona Geni.

Outra possibilidade

Também já se especulou que a oposição, por não contar com o número suficiente de votos, poderá segurar a votação. Com isso, amanhã seria apenas feita a leitura do relatório final da CEI.

Falando em PT…

Em contato com a presidente do PT de Pinda, a conhecida Sil, este repórter foi informado que o partido está ao lado do prefeito. Segundo Sil, uma conversa cara a cara já aconteceu com João Ribeiro e o PT nem cogita a possibilidade de romper com o governo até que todas as denúncias sejam apuradas. “Já passamos por isso em 2005, no caso do ‘Mensalão’. Muito do que se fala não passa de uma tentativa de sangria política”, diz.